Auxílio Emergencial: Empasse sobre novos valores e número de parcelas entre Maia e Guedes

Auxílio Emergencial: Empasse sobre novos valores e número de parcelas entre Maia e Guedes

Auxílio Emergencial: Empasse em novos valores e parcelas divide governo. Com a crise da pandemia perdurando e o isolamento social sendo estendido para garantir a saúde dos brasileiros, a economia entrou em queda livre. No começo da pandemia o Governo Federal concedeu aos trabalhadores informais o Auxílio Emergencial que poderia variar entre R$600 e R$1.200.

Mas no entanto agora o Auxílio Emergencial está chegando ao fim, e a pandemia continua pelo ar. Sendo assim trabalhadores informais ainda são afetados pelos efeitos do necessário isolamento. Mas de acordo com o Governo Federal, o auxílio poderá ser estendido para o alivio de quem tanto precisa.

Mas no entanto, o Auxílio Emergencial terá que ser reavaliado, de acordo com o ministro Paulo Guedes. Segundo o defendido por Guedes, se o auxílio for estendido por mais três meses com o valor de R$600, isso pode trazer sérias consequências para a economia.

Auxílio Emergencial: Empasse sobre novos valores e número de parcelas entre Maia e Guedes

O ministro fala em algo em torno de R$200 (sua proposta inicial) em prazos entre 1 mês ou dois meses no máximo. Mas no entanto o presidente do Congresso nacional, rodrigo Maia, defende o valor de r$600, e acredita que seja necessário estender até o fim do ano a ajuda de custo.

Mas Rodrigo Maia já garantiu que o Auxílio Emergencial será prorrogado, no entanto ainda passará por analise. Enquanto uma decisão não for tomada, o trabalhador informal fica na expectativa e esperança.

Deixe uma resposta